LU.GAR.OCULTO

ou a insólita história do lugar

16, 17 e 18 julho em
Torres Vedras

inverosimilis

Performance, em modo de visita guiada, a uma Torres Vedras imaginária, na companhia de um contador de histórias, um músico e um artista plástico, num roteiro em que história e ficção andam de mãos dadas. O desafio é conhecer a cidade, os seus recantos e monumentos, não só através dos olhos, mas dos ouvidos e da imaginação.
Os lugares de uma cidade cruzam memórias, vivências, histórias. O modo como olhamos e vivemos uma praça, ou uma rua é influenciado por aquilo que conhecemos desses espaços. Quem vive ali, que histórias aconteceram aqui, que casa é aquela, acolá? Por vezes, as histórias dos lugares estão cheias de pormenores incríveis, inverosímeis.
Utilizando lendas, relatos e testemunhos locais, Luís Correia Carmelo criou esta divertida visita guiada onde o participante é confrontado com uma narrativa baseada em factos reais, mas onde a ficção se embrulha com os factos, desafiando o espetador.
A visita pela cidade é realizada com headfones descartáveis (utilizados uma única vez). Miguel Neto, músico, cria ambientes sonoros que complementam a narrativa, criando uma experiência sonora imersiva aos participantes da visita.
Carlos Augusto Ribeiro, artista plástico, oferece aos espetadores a sua visão de um dos lugares da visita através de uma instalação pop-up.

brevemente - a versão online

Público-alvo: todas as idades.
Texto e performance: Luís Correia Carmelo.
Música e ambientes sonoros: Miguel Neto.
Instalação plástica pop-up: Carlos Augusto Ribeiro
Coordenação: José Barbieri
Produção: Memória Imaterial CRL

Ponto de encontro:
Museu Leonel Trindade
16 de julho - 18.00h
17 de julho - 11.30h
18 de julho - 11.30h


duração estimada: 60 minutos.

Luís Correia Carmelo é ator, autor, narrador oral e mediador cultural desde 2003, trabalhando em bibliotecas, escolas, associações, teatros e festivais, em Portugal e no estrangeiro. Licenciado em Estudos Teatrais, mestre em Estudos Portugueses com a dissertação​ Representações da Morte no Conto Tradicional Português (2011, Colibri) e doutor em Comunicação, Cultura e Artes com a tese Narração Oral: uma arte performativa. Colabora também com o CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve.